Tarot: Por que jogar?

Desde que comecei a jogar tarot, essa foi uma pergunta que me fiz constantemente em diversos momentos (afinal, ficar tirando cartas e tentando ver se elas passam alguma mensagem para você é, no mínimo, estranho. Pelo menos no começo).

Para que o tarot não serve?

Sempre achei que a melhor forma de explicar uma linha de raciocínio minha é começar pelo que dá errado e depois partir para o que dá certo. Falando mais de tarot especificamente, podemos citar que ele não serve para:

  • Prever o futuro – Por mais que você queira não tem como você descobrir os números da loteria ou se aquele seu flerte antigo vai ficar com você para sempre. Apesar de algumas pessoas defenderem que o tarot serve para divinação, conforme você for jogando vai ficar bem claro (ficou para mim, pelo menos) que o tarot serve muito mais como um instrumento de sentir para onde você está se encaminhando do que uma ferramenta mágica boladona que vê o futuro e te diz exatamente o que vai acontecer.
  • Dizer que as coisas só vão melhorar (ou piorar) – Ainda existe uma aura mística estranha ao redor do tarot e um dos meus objetivos é justamente tirar esse véu que envolve as cartas. Uma das principais crenças é que ao jogar tarot você vai descobrir quando morrer, sofrer um acidente ou perder o emprego (sendo mega-pessimista) ou que você vai ficar milionário, conhecer o amor da sua vida e vai fazer uma viagem incrível ao redor do mundo (sendo ultra-otimista). Não vai rolar nada disso, sério. Ao que parece o ser humano tende a polarizar a extrapolar nas coisas que ele acredita. Ou é 8 ou 80. Como já disse ali em cima: Primeiro que o tarot não vai te dizer o futuro e, segundo, ele serve muito mais para organizar e olhar melhor para dentro de si que para fora.
  • Falar com entidades astrais, espíritos, demônios, deuses e que o capeta vai entrar na minha vida assim que eu jogar as cartas e então minha cabeça vai girar em 360 graus quando o demônio estiver dentro de mim – Se você pensa desse jeito eu vou tirar duas cartas para você para prever o seu futuro. A primeira carta diz que você pode continuar lendo tudo que está escrito nesse post e nos outros desse blog e que não vai mais pensar desse jeito. A segunda carta diz que você vai acessar o youtube e ver vídeos de gatinhos. Ambos os caminhos são válidos e legais, cada um a sua maneira.
    Mas sério: Por mais que tenha gente que diga que tarot é uma forma de se comunicar com espíritos, demônios, entidades, que quem lê bem as cartas ouve tudo no pé do ouvido, no geral o tarot não tem só esse lado maluco místico. Você pode aprender a jogar as cartas simplesmente para saber mais da sua vida, sem precisar se preocupar com vozes sussurrando em seu ouvido. Se você precisa de vozes te auxiliando ou falando algo para você, pelo menos peça que elas apareçam num jogo de cartas mais relevante, como poker, por exemplo.

Mas então, para que serve o tarot?

Agora que já tiramos do caminho os motivos ruins do tarot, vamos para o real objetivo dele:

  • Organizar seus pensamentos – Sério, qualquer tomada de decisão onde você precisa levar em consideração mais de uma variável é difícil. Muito difícil. Muitas vezes você tem tanta coisa na cabeça, tantas linhas de pensamento juntas, que fica difícil organizar tudo aquilo. E por que não usar o tarot para organizar a sua cabeça? Eu gosto de pensar (e tem uma galera que concorda comigo) que o tarot é um reflexo do seu inconsciente. Muitas vezes a melhor decisão não fica clara para nós porque muitas informações necessárias para tomá-la estão esquecidas e/ou distantes da nossa linha de pensamento principal, no nosso lado mais consciente. E aí entram as cartas de tarot, dando todo um novo significado pra botar ordem na casa. Não há sensação melhor do que estar com a cabeça cheia, tirar as cartas e ver um plano se formar na sua frente. A tirada das cartas nada mais é do que um reflexo dos seus pensamentos então nada melhor do que enxergá-los graficamente e de forma simples, não é?
  • Tirar um tempo para si mesmo (meditar) – Pare de ler essas linhas durante uns dois minutos e tente se lembrar quando foi que você tirou um tempo para si mesmo, para pensar sobre a vida, emprego, amor, hobbies, enfim, qualquer coisa relacionada a você?
    Hoje em dia o mundo está cada vez mais rápido mesmo, as coisas acontecendo enquanto você dorme, e cada minuto parece uma oportunidade perdida. O ato de abrir e fechar os olhos já não é mais o mesmo. E nessa correria, muitas vezes nos negligenciamos. Então, por que não tirar um tempo para si mesmo e, de quebra, ainda ser um tempo onde você possa botar seus pensamentos e ideias em ordem? Muita se fala em meditação hoje em dia (tem até uns apps para celular bem legais), então por que não criar o hábito de meditar de um jeito diferente?
  • Te ajuda a interpretar melhor as coisas – Esse ponto aqui é bem parecido com os dois pontos acima, mas diferente em essência. Explico: O tarot no fringir dos ovos é um conjunto de símbolos e arquétipos, e cada um desses símbolos significa um conjunto de coisas. Imagina como se uma carta fosse um conjunto de palavras-chave, por exemplo. E o que acontece quando você tira um jogo para você com várias cartas que tem várias desses significados? Você começa a pegar essas palavras-chave que fazem sentido naquele contexto. As cartas contam uma história e cabe a você ler e interpretá-las. Com o tempo você vai melhorando cada vez mais essa habilidade e sua capacidade de interpretar não só as cartas, mas o mundo ao seu redor vai melhorar e você vai ficar muito feliz com isso!
  • Você vai fazer sucesso nas festinhas – Você não sabe (ainda) o quanto dizer que você sabe jogar tarot te torna um atrativo social. Sabe aquela festinha bacana na casa de amigos, todo mundo já meio bêbado e surge um papo onde você revela esse seu talento? É batata, todo mundo vai comentar, conversar, querer saber mais e querer que você tire as cartas. É uma das boas ferramentas para fazer sucesso em qualquer ambiente de interação!

Qual a conclusão disso tudo?

Independente do que eu falei aqui, meu conselho é: Jogue e tome sua própria decisão. Hoje em dia fala-se tanto em se desenvolvimento pessoal (existe todo um mercado de coachs e mentores, uma loucura, onde gasta-se muito $$$) mas por bobeira e preconceito deixamos de utilizar essa ferramenta antiga para nos desenvolver. Livre-se dos seus preconceitos, compre um baralho e jogue. Vai por mim, você vai gostar!

Lembrando que, se você não sabe jogar, não tem problema: Esse Blog existe justamente pra te ajudar com isso. Também fiz esse post com as principais dúvidas e perguntas que já ouvi sobre o tarot!

11 comentários sobre “Tarot: Por que jogar?

    1. hahahaha, muito bom!
      Gostei da sinceridade, Bruna, mas discordo! Esses momentos para descontrair são importantes nas nossas vidas, mesmo se estivermos na jornada louca do autoconhecimento e dos outros motivos que citei no texto. É bom trocar ideia com as pessoas sobre tarot nas sociais da vida. Faz bem, de verdade! 🙂

  1. Concordo que através do Tarot não se vai chegar aos números da loteria. Mas dizer que não vai prever o futuro é estranho. Porque então existem casas, nos jogos de Tarot, chamadas ‘futuro’?
    Mais ainda, métodos como o Peladan, levam-nos a concluir uma pergunta com uma resposta ‘sim’ ou ‘não’. Isso não é previsão de futuro?

    1. Oi Oren, muito obrigado pelo comentário!

      É uma discussão válida, mas muito perigosa. Falar que o Tarot prevê o futuro é ruim porque o próprio tarot não tem as ferramentas para isso. O que ele dá é somente o direcionamento que as coisas estão se encaminhando. Nada mais constante, as coisas podem sim acontecer daquela maneira, mas existem muitos fatores externos que podem afetar o “futuro”.
      Prever o futuro exige uma imutabilidade das coisas, uma rigidez que não condiz em nada com a fluidez das cartas. Uma coisa é ler algo que pode acontecer se o fluxo de tudo se mantiver igual, outra coisa é aceitar que as coisas são imutáveis e o que está lido está lido. Por isso não gosto de falar que a leitura é do futuro em si. Isso sem entrar na discussão de que o próprio leitor das cartas pode se enganar em alguma interpretação.
      Pra fechar: O método do Peladan não leva a concluir com uma resposta de “sim” ou “não”, mas sim a síntese do que foi jogado. Daí vai uma distância gigante de ser sim/não ou previsão de futuro.

      1. Obrigado por sua disposição em responder, Diogo. Sou amador nesse assunto e suas respostas são bastante claras e coerentes. Só a sua conclusão em relação ao método Peladan me confundiu um pouco mas entendo que a discussão é complexa.

  2. Oi, Diogo! Daqui Alexandra de Portugal. Eu sempre senti uma profunda ligação com todos os “jogos” que despertam a nossa intuição mais pura e, o Tarot é um deles. Só que, eu acabei por nunca desevolver a leitura do Tarot, precisamente porque ao pesquisar sobre o significado das cartas, tudo o que encontrava me levava para leituras”mundanas” ou “futurologias demasiado… terrenas”, se é que me entendes. Os conteúdos que aparecem são todos direcionados para a “venda de uma consulta que lhe diz o que quer ouvir, ao estilo novela”, ao invés daquela que, como dizes e muito bem, nos dá uma visão de como estamos e daquilo que podemos melhorar: uma leitura pura e resultado da nossa intuição em estado cru. Por isso, o meu muito obrigada de coração, pois graças a ti encontrei pela primeira vez, aquela que considero ser uma leitura e intrepretação decente e correcta do que é o Tarot e as suas cartas. Bem-haja!

    1. Muito obrigado, Alexandra, você não sabe o quanto é importante ver uma mensagem como a sua! Espero que você continue insistindo no Tarot, que é um ótimo instrumento. 🙂
      Qualquer dúvida que tiver, só mandar um email, ok?
      Grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *